Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Justiça mantém restrições à atuação da mineradora Hydro

A sentença foi em resposta a uma ação do Ministério Público do Estado, após constatação de que, com vazamento de rejeitos em fevereiro deste ano, houve danos ambientais e à população local

Repórter Amazônia

No AR em 07/11/2018 - 19:10

A Justiça Federal no Pará decidiu manter todas as decisões que restringiram as operações da mineradora Hydro Alunorte, em Barcarena.

A decisão ratificou os atos processuais praticados na Comarca de Barcarena. Entre as decisões confirmadas está a que proibiu a mineradora de utilizar o Depósito de Resíduos Sólidos 2 enquanto não houver a Licença de Operação e enquanto não demonstrar capacidade operacional eficiente e a segurança da estrutura, e todos os requisitos técnicos adequados.

A Justiça Federal também ratificou decisão da Justiça Estadual de determinar que a empresa “reduza a produção da planta industrial a um patamar equivalente a 50% da produção média mensal dos últimos doze meses .

Quanto à competência da Justiça Federal para avaliar o caso, o juiz Arthur Pinheiro Chaves apontou que de acordo com o próprio Ministério Público, a ação só foi inicialmente proposta no âmbito estadual porque, naquele momento, não havia evidências de que os danos ambientais tivessem atingido bens da União.

No entanto, o próprio Ministério Público ressaltou que investigações posteriores, principalmente, a perícia realizado pelo Instituto Evandro Chagas, teriam evidenciado que os efluentes decorrentes do vazamento atingiram, além de rios locais, o rio Tocantins, um rio federal.

Também são destaques do Repórter Amazônia dessa quarta-feira, 7:

- Teresa Cristina é indicada ao cargo de ministra da Agricultura

- O dia em Brasília foi de reuniões da equipe de transição

- Frutas da Amazônia auxiliam na prevenção de doenças crônicas

Mais do programa