Polícia prende suspeitos de levar brasileiros ilegalmente para EUA

Eles teriam intermediado a ida ao exterior de 12 de brasileiros, que estão desaparecidos desde de novembro, na região das Bahamas
Polícia Federal
Polícia Federal André Gustavo Stumpf / DPF / Flick / CC

Polícia Federal prende suspeitos de levar brasileiros ilegalmente para EUA. Eles teriam intermediado a ida ao exterior de 12 de brasileiros, que estão desaparecidos desde de novembro, na região das Bahamas.
 
Três pessoas foram presas por participação em uma organização criminosa responsável por levar brasileiros ilegalmente para os Estados Unidos. Com as prisões, a Polícia Federal busca obter mais informações sobre o paradeiro desses brasileiros. Outras duas pessoas ainda estão sendo procuradas.
 
A operação intitulada de “Piratas do Caribe” foi desencadeada pela Polícia Federal em Rondônia e teve desdobramentos em Santa Catarina e Minas Gerais. A Polícia Federal não informou o local das prisões, mas confirmou que, pelo menos um dos acusados foi preso na cidade rondoniense de Ji-Paraná.
 
Além das prisões preventivas, a PF também cumpriu sete mandados de busca e apreensão nos três estados.
 
Delegado da Polícia Federal em Rondônia, Raphael Baggio de Luca, destacou que após a operação ser deflagrada, diversas pessoas compareceram a delegacia para trazer informações que ajudem na localização dos brasileiros desaparecidos. De acordo com a Polícia Federal, brasileiros tentavam entrar ilegalmente nos Estados Unidos, com auxílio de coiotes. 
 
 
De acordo com a PF, antes de sair do Brasil, os imigrantes ficavam em alguma cidade com aeroporto internacional de fácil acesso, aguardando a ordem de embarque para as Bahamas, que ocorria quando um determinado agente de imigração daquele país facilitava a entrada dos brasileiros. Uma vez nas Bahamas, os imigrantes aguardavam por vários dias para embarcar para os Estados Unidos de barco.
 

Confira ainda no Repórter Amazônia desta sexta-feira, 13: Tocantins tem alerta para chuva forte; monitoramento de rios é intensificado por risco de enchentes no Acre. E mais: começou a campanha contra mosquito Aedes Aegypti em Palmas e em Belém.
 
 
O Repórter Amazônia é uma produção da Rede de Rádios Públicas da Amazônia e vai ao ar, de segunda a sexta-feira, às 18h30 pela Rádio Nacional da Amazônia.

Repórter Amazônia
em
13/01/2017 - 19:26
atualizado em
13/01/2017 - 19:46