Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Inflação oficial de 2017 registra índice de 2,95%

O Banco Central comemorou o índice. Já especialista da FGV acredita que o IPCA baixo pode ser um sinal de atividade econômica mais fraca.

Repórter Nacional

No AR em 10/01/2018 - 11:30

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, comemorou o fato de a inflação oficial, medida pelo IPCA, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, fechar o ano de 2017 em 2,95%, abaixo do piso da meta fixada pelo governo, que era de 3%. Foi o menor índice desde 1998.

Consumidores não confiam em recuperação da economia

 

Quando a inflação encerra o ano acima ou abaixo da meta, o Banco Central precisa explicar o resultado em uma carta aberta ao presidente do Conselho Monetário Nacional, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. Essa foi a primeira vez que a inflação ficou abaixo da meta. Na carta, divulgada nessa quarta-feira, a autoridade monetária avalia que “a queda da inflação elevou o poder de compra da população e, juntamente com outros fatores, propiciou a retomada do consumo e da atividade econômica”. E diz que preferiu não interferir na trajetória de preços, porque não estavam muito distantes da meta.

Ilan Goldfajn destacou que agora, a tendência é de alta, para que a inflação se aproxime do centro da meta, que é 4,5%.

Para o professor de Gestão Financeira da Fundação Getúlio Vargas, Ricardo Teixeira, a inflação abaixo da meta pode trazer uma mensagem negativa, de atividade econômica mais fraca. Além disso, na análise de Ricardo Teixeira, a crise econômica nos estados, que prejudicou servidores públicos, também pode explicar a inflação menor que a esperada. Segundo o professor, muitos trabalhadores reduziram drasticamente o consumo de bens e serviços.

De acordo com o Banco Central, o principal motivo de a inflação ter ficado abaixo da meta foi o preço dos alimentos, que reduziram 4,85% ao longo do ano passado, na maior deflação desde que o IPCA começou a ser medido, em 1989. Um dos motivos da queda de preços foi a grande quantidade de oferta, com os recordes de produção agrícola. O professor Ricardo Teixeira considerou positiva a deflação dos alimentos.

Para este ano, a expectativa do mercado é de alta da inflação. O IPCA deve fechar o primeiro trimestre em 3,2%.

Outros destaques desta edição do Repórter Nacional:

- Justiça mantem liminar que suspende posse de Cristiane Brasil

- Defensor de Direitos Humanos é assassinado em Anapu, no Pará

- Policiais e Bombeiros do RN retornaram às ruas

Escute o programa na íntegra:

Mais do programa