Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

No Momento Literário, Katy Navarro aborda o trabalho de Ângela Lago

Ângela Lago teve atuação de destaque na literatura infantil: na escrita e na ilustração

Assinar podcast

Antena MEC

No AR em 01/09/2020 - 18:00

A literatura infantil tem grandes nomes e muita gente que se destaca, tanto na escrita, quanto na ilustração, de forma conjunta. Ângela Lago é um desses casos. A escritora e ilustradora mineira, que começou a desenhar aos três anos, quando rabiscava paredes e o piso de casa, sempre mostrou que talento não lhe faltava. Na graduação, ela fez a escola de Serviço Social, pela Universidade Católica de Minas Gerais.

Chegou a lecionar na Escola de Serviço Social e a trabalhar como assistente no Instituto Psicopedagógico, com crianças com dificuldades psicopedagógicas e psiquiátricas. Paralelo a isso, frequentava escolas de arte.

Em 1975, abriu seu próprio ateliê de programação visual para publicidade, onde criou marcas, logotipos e propagandas institucionais.

Foi na década de 1980 que passou a publicar seus livros infantis. Sua obra reúne mais de 30 livros de sua autoria em texto e imagem, além de dezenas de outros, nos quais assina só a ilustração.

Ganhou diversos prêmios no Brasil e no exterior. Seu primeiro livro foi “Fio no Riso”. O livro “Cena de Rua”, de 1994, é um destaque; mas há outros importantes como “Uma Palavra Só”, “Um Ano Novo Danado de Bom”, “ABC Doido”, “A Novela da Panela” e muitos outros.

Em 2004, foi pela terceira vez indicada ao prêmio Hans Christian Andersen, o nobel da literatura infantil, pelo conjunto da obra.

Suas histórias chegam às crianças de forma simples e com temas que mexem com o imaginário infantil, em situações até difíceis de serem tratadas, como o medo. É uma obra vibrante e que conquista os adultos também.

Ângela Lago morreu aos 71 anos, em 22 de outubro de 2017, em Belo Horizonte, mesma cidade onde nasceu. A mineirinha querida dos amigos e leitores, pequenos e grandes, dizia que suas obras não precisavam ser explicadas. Ela acreditava que deveríamos imitar as árvores, que oferecem seus frutos sem prefácios, ou qualquer conversa. Então, vamos desfrutar dos frutos de Ângela Lago: livros de belas histórias e imagens. Nossas crianças agradecem!

Criado em 01/09/2020 - 12:02 - Episódio Momento Literário - Ângela Lago

Mais do programa