Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

O que fazer em caso de atrasos de pedidos de aposentadoria e perícias?

Segurados estão com dificuldade para marcar as perícias saiba como proceder.

Tarde Nacional

No AR em 09/02/2022 - 17:23

O Tarde Nacional conversou com o professor Theodoro Agostinho sobre como os segurados do INSS devem agir no caso de não conseguirem marcar perícias.

 O professor esclarece que aposentados em busca de revisão relatam demora do INSS em analisar os pedidos, além de problemas  com paralisação de servidores e acúmulo de processos que já se estende desde o início da pandemia.

Segundo Agostinho, a falta de pessoal e as paralisações pela pandemia são os principais fatores para a Previdência Social ter encerrado 2021 com cerca de 1,8 milhão de pedidos de aposentadorias, pensões e auxílios em análise. Desse total, cerca de 900 mil estavam com atraso em relação ao prazo fixado pelo Supremo de atendimento em até quarenta e cinco dias.

De acordo com o professor, considerando que cerca de novecentos mil processos estão em atraso, o INSS precisaria analisar cento e trinta e um mil pedidos extras para acabar com a fila. O órgão recebe, em média, oitocentos mil pedidos por mês, entre pedidos de benefícios, perícias e agendamentos, e processa cerca de setecentos mil. Esses números são apontados pelo Instituto Brasileiro de Direitos Previdenciários (IBDP), organização civil sem fins lucrativos, que levantou as informações de requerimento ao INSS no início de 2022.


Ouça dicas sobre os caminhos para os beneficiários que estão na fila e quais são seus direitos clicando no player.

 

Tags:  INSS

Criado em 09/02/2022 - 17:31

Mais do programa