Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Ação de piratas em rios da Amazônia causa prejuízos milionários

As cargas mais visadas são derivados de petróleo, eletroeletrônicos e

Empresas de navegação fluvial têm perdido, por ano, cerca de 100 milhões de reais por causa de furtos e de roubos nos rios da Amazônia. Os dados são do Sindarma, Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial do Amazonas.

 

As ocorrências atingem todos os estados da região Norte. Derivados do petróleo e eletroeletrônicos, como peças de computador, são as mercadorias mais visadas. Há também muitos assaltos a transportes de passageiros. De acordo com o presidente do Sindarma, Claudomiro Carvalho, as fiscalizações realizadas pelos estados não são suficientes. Ele sugere a criação de uma “polícia federal hidroviária”.

 

Ouça outros destaques do Jornal da Amazônia 1ª Edição

 

"O que mais preocupa a gente é que a ação dessas quadrilhas, elas são crescentes, e aí elas levam à prostituição infantil, ao tráfico de droga, e a uma série de outros delitos que vem em função dessa capitalização do crime. Por isso até que a gente defende um apoio do governo federal no sentido de criar uma polícia hidroviária federal. A gente ter realmente uma polícia voltada para o rio nos moldes que temos a polícia rodoviária nas nossas estradas federais".

 

De acordo com os dados do Sindarma, os locais de maior frequência dos crimes são o rio Madeira, com cargas de combustíveis; o estreito de Breves, no Pará, com eletroeletrônicos; e o rio Solimões, próximo aos municípios de Coari e Tefé, com ataques a embarcações de passageiros.

 

O caso mais recente ocorreu em maio, quando uma balsa de 400 toneladas, avaliada em 300 mil reais, foi furtada. O caso ocorreu no rio Negro, na zona oeste de Manaus. A embarcação ainda está desaparecida.

 

Sobre a criação de uma polícia hidroviária federal, o Ministério da Justiça informou que seria necessária uma alteração no Artigo 144 da Constituição Federal. O tópido ressalta que a segurança pública é exercida apenas pela polícia federal; rodoviária federal; ferroviária federal; polícias civis; militares e corpos de bombeiros militares.

 

A reportagem tentou entrevista com o delegado Carlos Augusto, da Polícia Civil do Amazonas, mas ele não atendeu aos telefonemas. (Maíra Heinen)

 

Ouça, também, no Jornal da Amazônia 1ª Edição:

 

- Anvisa detecta excesso de agrotóxicos em alimentos.

- O Ministério da Saúde estima que 25 milhões de brasileiros vivam em áreas com o risco de contrair esquistossomose.

 

O Jornal da Amazônia 1ª Edição vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, na Rádio Nacional da Amazônia, uma emissora da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).



Criado em 29/07/2015 - 11:57 e atualizado em 29/07/2015 - 11:09

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique