Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Governo do Amazonas decide transferir pacientes para outros estados

O primeiro grupo de pacientes vai ser levado para Goiás, Distrito Federal, Piauí, Maranhão e Rio Grande do Norte

Repórter Nacional

No AR em 14/01/2021 - 18:00

Está faltando oxigênio nos hospitais do Amazonas. A empresa White Martins, que faz o fornecimento ao estado, só consegue produzir 25 mil metros cúbicos por dia, mas a demanda atual é de 70 mil metros cúbicos. O aumento do consumo de oxigênio nos hospitais amazonenses é por causa do agravamento da Covid-19.

Nesta quinta-feira, o problema foi abordado por autoridades de saúde do Amazonas e do governo federal em entrevista coletiva.

O secretário estadual da Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, afirma que foi surpreendido com o crescimento da demanda: duas vezes e meia a mais que o registrado no pico da doença ano passado.

Uma das medidas é levar oxigênio de São Paulo para Manaus. Como a aeronave que vai fazer o transporte está em manutenção, a data do voo ainda não foi definida.

De acordo com o Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Coronel Franco Duarte, enquanto a disponibilidade de oxigênio não for normalizada, os pacientes vão ser transferidos para outros estados.

O relaxamento das medidas de proteção contra o novo coronavírus e as aglomerações, principalmente nas festas de final de ano, são apontados como os principais motivos da piora do quadro da Covid-19 no Amazonas.

Segundo Tatyana Amorim, da Fundação de Vigilância em Saúde do estado, a descoberta de uma nova variante do coronavírus também pode estar relacionada ao crescimento de casos.

O governador Wilson Lima disse que vai ampliar as medidas de restrição para evitar a disseminação do novo coronavírus. Será publicado um decreto impondo toque de recolher das 19h às 06h da manhã em todo o Amazonas.

O transporte de passageiros, terrestre e fluvial, também está proibido no Amazonas. Apenas cargas poderão circular. Wilson Lima disse ainda que o estado entrou na justiça para que a White Martins garanta o fornecimento de oxigênio suficiente para atender os pacientes de covid-19.

Em nota, a empresa informou que conseguiu ampliar até o limite máximo a capacidade de produção em Manaus – de 25 para 28 mil metros cúbicos por dia – e direcionou toda a produção de oxigênio da unidade para o segmento medicinal. A White Martins também afirma que já viabilizou o envio de 500 cilindros, com suporte da FAB, o que representou um acréscimo de volume de 5.000 metros cúbicos.

Clique no player acima e ouça também:

- Vacinação contra a covid-19 no Brasil pode começar já na próxima semana         

- Anvisa cobra da Fiocruz e do Butantan informações necessárias para análise sobre uso emergencial de vacinas

- Estados apontados como críticos em relação ao estoque de seringas afirmam que possuem quantidade suficiente para iniciar vacinação

 

Criado em 14/01/2021 - 20:52 - Episódio Repórter Nacional 14/01/2020 18H

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Mais do programa