Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Entenda a ampliação do Teste do Pezinho no SUS

Exame ajuda a identificar doenças metabólicas e genéticas nos bebês recém-nascidos

Tarde Nacional - Amazônia

No AR em 03/06/2021 - 00:23

O Tarde Nacional - Amazônia  falou sobre o Teste do Pezinho, um exame obrigatório que ajuda a identificar doenças genéticas e metabólicas nos bebês recém-nascidos. O entrevistado foi o pediatra e geneticista,  Salmo Raskin. Ele é presidente do Departamento de Genética da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Ele explicou que o teste é feito de forma bem simples, com gotinhas de sangue colhidas do pé dos bebês geralmente com dois dias de vida ou na primeira consulta no posto de saúde após a alta hospitalar. De acordo com o médico, o exame tem um intervalo específico para ser realizado. Ele não deve ser feito logo no primeiro dia de vida da criança, nem após o primeiro mês para não correr o risco de perder o momento certo de fazer o diagnóstico de determinadas doenças.

Salmo Raskin ressaltou que o teste é fundamental para identificar doenças difíceis de serem diagnosticadas clinicamente, ou seja, examinando a criança recém-nascida:

“Geralmente ela parece uma criança normal porque ela não tem malformações e nada disso, nem sinal característico como outras síndromes. Uma criança que nasceu e é aparentemente normal. Não, ela não é normal. Ela tem um problema no metabolismo que não aparece aos olhos do medico. E pior ainda, se você demorar a fazer o diagnóstico, você perde o tempo em que o tratamento pode ser estabelecido. É uma situação delicada, não dá dicas... E se você demorar pra fazer o diagnóstico, você perde o momento certo e essa criança não vai ter a qualidade de vida que poderia ter. É bem para esta situação que serve o Teste do Pezinho.”

 

Atualmente no Brasil o exame já é feito de forma gratuita em todos os bebês recém-nascidos. Mas com a aprovação da nova lei, a lista de doenças diagnosticadas pelo teste realizado na rede pública vai passar de seis para até cinquenta doenças.

“Foi uma grande vitória. As pessoas ainda nem conhecem direito o alcance dessa vitória. Mas ela significa mais qualidade de vida, mais dias de vida, mais chance de tratamento e de ter uma vida normal para milhares e milhares de crianças brasileiras”, comemorou o pediatra.

 

Ele falou ainda da importância do acesso ao tratamento nos casos de diagnóstico positivo para alguma doença rara.

Quer saber mais? Então clique no player acima e confira a entrevista na íntegra!

O Tarde Nacional - Amazônia vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 13h às 15h, na Rádio Nacional da Amazônia. A apresentação é de Juliana Maya.

Criado em 03/06/2021 - 08:15

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Mais do programa