Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

MPF-AM denuncia 25 pessoas por exploração ilegal de ouro no Rio Madeira

Acusados foram identificados durante de fiscalização em outubro do ano passado

Repórter Nacional - Amazônia

No AR em 12/01/2018 - 11:20

Vinte e cinco proprietários de dragas foram denunciados por exploração ilegal de ouro e outros minérios no Rio Madeira.O crime ambiental teria corrido no município de Humaitá, distante 590 quilômetros de Manaus. Os acusados foram identificados durante de fiscalização em outubro do ano passado.

As dragas que faziam a retirada ilegal de ouro estavam montadas sobre botes. Motores marítimos a diesel alimentavam bombas centrífugas que sugavam o cascalho e peneiravam o material. A apuração final era feita com o auxílio de bateia e o uso de mercúrio – um perigo inclusive para a saúde dos peixes e moradores ribeirinhos.

De acordo com o Ministério Público Federal – autor da denúncia, no momento da fiscalização, os proprietários das dragas não apresentaram permissão para fazer a garimpagem.

Após essa operação, carros, embarcações e prédios do Ibama e do ICMBio, foram incendiados e servidores ameaçados, em represália à fiscalização. Em dezembro, o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas liberou o garimpo na área, mas Justiça Federal suspendeu as licenças de operação concedidas pelo órgão para a exploração de ouro no leito do Rio Madeira, nos municípios de Novo Aripuanã, Manicoré, Borba e Humaitá, região sul do Amazonas.

Clique no player acima e ouça a entrevista.

Garimpo no Rio Madeira
Garimpo no Rio Madeira - James Martins/ CC BY 3.0/ Wikimedia Commons

Mais do programa