Tecnologia e novas relações de trabalho

O Tema Livre debate as condições trabalhistas da empresa Uber
Uber - Startups
Uber - Startups Gustavo da Cunha Pimenta/ Uber/ Flickr/ CC BY-SA 2.0

O Tema Livre desta segunda-feira (21) debate a tecnologia e as novas relações de trabalho
 
A mobilidade urbana ainda é um problema em grandes cidades do Brasil e o Rio de Janeiro não é uma exceção. Por isso, o aplicativo Uber recebeu apoio de boa parte da população, a medida que trouxe uma oferta de transporte com uma tarifa menor do que a praticada pelos taxistas, em geral. E em alguns casos, até mesmo mais barata do que a utilização do transporte público.Outro fator importante para a adesão da sociedade ao Uber é o desemprego e a necessidade de complementação da renda. Muitos brasileiros encontraram no Uber uma alternativa que não estão encontrando no mercado de trabalho. Em meio aos problemas de mobilidade e o desemprego, as empresas aproveitam a oportunidade e ganham dinheiro utilizando a tecnologia para terceirizar processos de trabalho. Mas afinal, os motoristas do aplicativo Uber são contratantes ou funcionários? A empresa tem ou não tem de arcar com direitos trabalhistas? Qual é o nível de compromisso que a empresa tem com o passageiro que embarca num veículo cadastrado?
 
 
Participam da discussão a presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho da Primeira Região (AMATRA 1), Dra. Clea Couto; o Procurador do Ministério Público do Trabalho - RJ, Dr. Rodrigo Carelli; o taxista Sérgio Coelho; e o advogado trabalhista, Elton Silva.

 
Ouça o programa na íntegra, clicando no player acima.

Produtor
Alessandra Hirtenkauf/ Fatima Bomfim
Tema Livre
em
21/11/2016 - 15:40
atualizado em
21/11/2016 - 16:58