Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Silvestre Gorgulho homenageia o Rei Pelé, JK e os 60 anos de Brasília

O novo livro foi lançado em 2020, no aniversário de 80 anos do astro, em cerimônia no Museu do Futebol, em São Paulo. Em Brasília, a obra deve ser lançada após pandemia no Cine Brasília

Tarde Nacional - Brasília

No AR em 10/02/2021 - 15:30

Lançado no final de 2020 no aniversário de 80 anos do Rei Pelé, no Museu do Futebol, em São Paulo, o livro De Casaca e Chuteiras - A Era dos Grandes Dribles na Política, Cultura e História, do jornalista mineiro-brasiliense Silvestre Gorgulho traz fatos e fotos que proporcionam uma reflexão sobre duas décadas de transformações vividas pelo Brasil.

Transformações profundas que começaram em 1956 com dois fatos formidáveis: a posse do presidente Juscelino Kubitschek, no Palácio do Catete, em 31 de janeiro, e a estreia de Pelé, na Vila Belmiro, com apenas 15 anos, em 7 de setembro. A obra, que levou 10 anos de extensa pesquisa, homenageia também os 60 anos de Brasília. 

Para falar sobre esse trabalho, o Tarde Nacional Brasília conversou com o ex-secretário de Cultura do DF, também responsável pela construção do Clube do Choro, da Escola de Choro Raphael Rabello e pela construção da Torre Digital de Brasília, último projeto de Oscar Niemeyer inaugurado com o arquiteto ainda vivo, Silvestre Gorgulho.

"Este quinto livro nasceu há 10 anos quando Edison Arantes do Nascimento fez 70 anos. E aconteceu quando resolvemos comemorar os 50 anos da Copa do Mundo de 58, aqui em Brasília, em 2008. Na preparação dessa homenagem, almoçando com o Pelé, ele me pediu um favor. De que o prefeito de Santos, à época, gostaria de fazer um monumento em frente ao Museu do Pelé, para identificar o local do museu de longe. E ele me disse que se fosse fazer essa estátua, que ele gostaria que ela fosse feita por Oscar Niemeyer já então com 100 anos. Em 2010, o Niemeyer me ligou dizendo que o projeto estava pronto", contou o escritor e jornalista, que lembrou ainda na entrevista que há um mini-museu na Urca, RJ, dedicado ao Rei Pelé.

E porque esse título "De Casaca e Chuteiras"? De acordo com ele, é justamente por se tratar de uma linha do tempo que vai levando JK, Brasília e Pelé em meio a histórias maravilhosas. Na entrevista, o jornalista citou também a transferência da capital federal, ainda no RJ, para Brasília.

"Antes as benesses e desenvolvimentos iam todas para o litoral. Mas com a construção de Brasília, o Brasil abraçou novamente esse interior. Foi uma redescoberta do país. E foi por causa de Brasília que 60% do agronegócio brasileiro está no cerrado onde antes não se plantava nada, vivia-se apenas de mineração. E tudo isso aconteceu em 1956, inclusive o primeiro jogo do Pelé", finaliza Silvestre, que lembra ainda que lá em 1958 a bandeira do Brasil não era conhecida. 

Ficou curioso? Então, senta que lá vem história! A ser lançado em breve, em Brasília, o livro está disponível no Mercado Livre. 

Confira no player acima a entrevista completa. 

O Tarde Nacional Brasília vai ao ar de segunda a sexta no horário de 15h às 17h pela Rádio Nacional de Brasília.

Criado em 10/02/2021 - 17:09 e atualizado em 10/02/2021 - 16:49

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Mais do programa