Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

UFRJ: primeira universidade do Brasil encerra as comemorações pelo seu centenário com evento virtual

Professora e organizadora do evento faz um balanço das conquistas, mas olha também para o que a universidade pode e precisa oferecer no próximo século

Tarde Nacional

No AR em 06/09/2021 - 16:19

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), primeira universidade do país, depois de celebrar seu primeiro centenário, em setembro de 2020, vai encerrar as comemorações com um evento realizado pela internet, o "UFRJ+100: desafios para o Brasil". A iniciativa pretende fazer um balanço das conquistas realizadas até agora, mas com um olhar para o que a universidade pode e precisa oferecer no próximo século.

Em entrevista no Tarde Nacional desta segunda-feira (6), Tatiana Roque, professora de matemática e filosofia da UFRJ, organizadora do evento e coordenadora do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, falou sobre o "UFRJ+100: desafios para o Brasil", que irá acontecer nos dias 8,9 e 10 de setembro, reunindo professores e convidados de outras instituições de pesquisa e ensino para debater, de forma interdisciplinar, diversos assuntos. O evento virtual contará com 13 mesas, abertas ao público em geral, que vão abordar desde a crise climática e a segurança pública até o aumento da desigualdade causado pela pandemia, além dos desafios do trabalho no século 21.

"A gente precisa, agora, também parar pra pensar como a gente vai atacar tantos outros problemas que têm aparecido, como problemas econômicos, problemas das desigualdades, uma série de problemas que o Brasil tá enfrentando, e que a universidade tem muitas pesquisas que podem ajudar a tratar", diz ela sobre o evento, que pretende convocar a sociedade e a universidade para focar o pensamento nos desafios brasileiros.

Durante a entrevista, Tatiana lembra que a UFRJ foi fundada em 1920, pelo presidente Epitácio Pessoa, logo após uma pandemia, mais conhecida como a Gripe Espanhola, uma vasta e mortal pandemia causada pelo vírus influenza e que matou entre 17 e 50 milhões de pessoas, segundo as estimativas (alguns dizem que esse número pode chegar a 100 milhões de óbitos). Uma escola que foi fundada para uma elite, reunindo três faculdades que já existiam no Rio de Janeiro, de forma isolada, de Direito, Medicina e Engenharia.

A primeira mesa do "UFRJ+100" terá a participação do historiador e "imortal" José Murilo de Carvalho, que junto de outros especialistas, revisitará o processo de independência do Brasil, abrindo as ações comemorativas para os 200 anos da independência, em 2022. O "UFRJ+100" é promovido pelo Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, sob coordenação da professora Tatiana e do professor Luis Manuel Fernandes, que também vai apresentar um curta-metragem sobre as pesquisas produzidas na universidade em várias áreas do conhecimento, com foco em seu impacto social.

Outra novidade estará presente na mesa comemorativa Centenário de Dados, que lançará o projeto Visualiza UFRJ, que permite acessar de forma interativa diversos dados sobre a instituição, como as mudanças no perfil dos estudantes, ao longo do tempo, informações sobre os servidores, pesquisas produzidas, cursos de graduação e pós-graduação.

Ouça a entrevista na íntegra clicando no player acima. 

Criado em 06/09/2021 - 18:34

Mais do programa