Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Apesar do conflito, seleção da Síria luta por uma vaga na Copa de 2018

Boletim diário traz informações sobre a Copa do Mundo de 2018

Assinar podcast

Copa do Mundo 2018

No AR em 26/09/2017 - 13:54

A Síria tem ocupado o noticiário desde 2011 por causa de um conflito que já deixou 470 mil mortos e provocou um êxodo de 11,5 milhões de pessoas, o maior da história recente. A guerra civil é considerada um grande desastre humanitário.

Felizmente a Siria entrou agora no noticiário pela façanha da sua seleção de futebol que está disputando as eliminatórias da Copa do Mundo. Atualmente na posição 75 do ranking da FIFA, a seleção da Siria não jogou uma partida em casa devido ao conflito. Começou na segunda fase das eliminatórias asiáticas ao lado do Japão, Singapura, Afeganistão e Camboja. Perdeu as duas partidas contra o Japão (por 3x0 e 5x0), mas ganhou todas as seis contra as demais concorrentes do seu grupo. Ficou em segundo lugar e passou para a terceira fase. Foram 8 jogos: 6 vitórias e duas derrotas. Marcou 26 gols e sofreu 11.


Na terceira fase participou do grupo A com Irã, Coréia do Sul, Uzbequistão, China e Catar. Disputou 10 jogos ganhando 3 empatando 4 e perdendo 3 vezes. Fez 9 gols e sofreu 8. Acabou em terceiro lugar ao conseguir um empate no final do jogo contra o Irã, tirando a vaga da repescagem do Uzbequistao. Nos 18 jogos que disputou, nove foram fora de casa, e outros nove em campo neutro. Na segunda fase, jogou em Muscat e Seeb, cidades do Omã e na terceira fase mudou para a Malásia, jogando em Paroi e Krubong.

População síria torcendo pela seleção do país

Agora a Síria tem um difícil adversário pela frente que é a seleção da Austrália. Serão dois jogos, um no dia 5 de outubro, em Krubong, na Malásia; e outro dia 10 de outubro, em Sydnei. A Austrália tem mais história no futebol, mas a determinação síria em função das adversidades por que passa o seu povo, pode fazer a diferença e surpreender. Quem vencer este confronto, decide uma vaga na Copa da Rússia com o quarto colocado da América do Norte, Central e Caribe, entre Estados Unidos, Honduras e Panamá.

Mais do programa