Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Boletim aponta cenário preocupante com fim do auxílio emergencial

Estudo mostra que o benefício evitou que a parcela mais vulnerável da sociedade fosse maior durante a pandemia

Revista Rio

No AR em 18/12/2020 - 11:00

O Revista Rio comenta a segunda edição do Boletim Desigualdade nas Metrópoles, que projeta uma situação social dramática com o fim do auxílio emergencial.

Dylan Araújo conversou com Marcelo Ribeiro, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenador do Núcleo Rio de Janeiro do Observatório, que deu mais detalhes sobre o assunto.

Confira no player acima.

O estudo aponta que sem o auxílio emergencial a pobreza teria chegado a 28% da população das Regiões Metropolitanas. O temor é que esse cenário se torne realidade após o fim do benefício, que se encerra neste mês de dezembro.

A perspectiva para o ano que vem com o fim do auxílio emergencial não é agradável, de acordo com Marcelo.

 

“Numa situação em que a economia não se apresenta numa perspectiva de retomada sustentável, o que a gente percebe é que a situação da pobreza tende a se agravar nesses contextos das regiões metropolitanas do Brasil”, disse.

Redução da desigualdade de renda

O auxílio emergencial impactou na redução da desigualdade de renda. O professor explicou que, no entanto, essa redução se estabeleceu num quadro em que todos perderam renda.

 

Criado em 18/12/2020 - 13:55

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Mais do programa