Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Na Trilha da História trata dos ciclos econômicos no Brasil colonial

Historiador André Honor explica como a escravidão que marcou a exploração da cana-de-açúcar e do ouro moldou a sociedade brasileira

Na Trilha da História

No AR em 24/04/2018 - 07:39

O Na Trilha da História desta semana mostra como a desigualdade social brasileira e o racismo remontam à utilização de trabalho escravo no plantio da cana-de-açúcar e na extração do ouro durante o período do Brasil colonial. O entrevistado desta semana é o historiador André Cabral Honor, mestre em História pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), doutor em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), professor e um dos coordenadores do curso de História da Universidade de Brasília (UnB).

Este episódio faz parte de uma série de programas que serão transmitidos em referência aos 130 anos da Lei Áurea, que determinou oficialmente o fim da escravidão no país. Na próxima semana, será reprisado o episódio "Escravidão no Brasil", que teve como convidado o historiador João José Reis, professor da Universidade Federal da Bahia (UFBa). Na semana seguinte, será veiculado um episódio inédito sobre o período posterior à abolição da escravatura, mostrando os desafios dos negros libertos e seus descendentes. Esse programa terá como convidadas a historiadora Lucilene Reginaldo, professora de História da África na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e a rapper Vera Veronika, educadora e autora de vários projetos voltados para a igualdade racial.

Ouça o programa no player acima. 

Historiador André Honor, professor da Universidade de Brasília


 

 

"A sociedade colonial, e a gente sente isso até hoje, é baseada no sistema da escravidão", declarou André.

 

 

 

Neste programa, André explica que, num primeiro momento, a mão de obra utilizada foi a indígena, na extração do pau-brasil. Nesse primeiro momento, não havia escravidão. Com o cultivo da cana-de-açúcar, os portugueses se aliaram a índios que tinham rivalidades com outras tribos e começaram a escravizar esses rivais.

Para abastecer a indústria do açúcar, os portugueses trouxeram os negros, dando início ao tráfico negreiro no Brasil. O historiador falou sobre a escravidão negra, a formação de quilombos e a violência sofrida pelos escravos. Para André, o engenho continua nos dias atuais.

Trilha Sonora
Confira as músicas deste episódio: "Um índio" (composição e interpretação de Caetano Veloso); "Tem cana pra cortar" (Mestra Iúna, do grupo Capoeira Candeias); "Zumbi", composição e interpretação de Jorge Benjor); "Quando eu vim de Minas" (composição de Xangô da Mangueira e interpretação de Clara Nunes); e "Canto das três raças" (composição de Mauro Duarte e Paulo César / interpretação de Clara Nunes).

Confira aqui os horários do programa:

Sábado, 16h: Rádio Nacional FM Brasília 96,1 MHz, com reprise na quarta, às 23h;
Sábado, 11h: Rádio Nacional AM Brasília 980 kHz, com reprise no domingo, às 6h;
Sábado, 6h: Rádio Nacional do Rio de Janeiro 1.130kHz;
Sábado, 18h: Rádio MEC AM do Rio de Janeiro 800kHz;
Domingo, 6h (horário de Brasília): Rádio Nacional da Amazônia 11.780kHz e 6.180kHz em rede com a Rádio Nacional do Alto Solimões AM 670 kHz, FM 96,1 MHz.

O Na Trilha da História é apresentado pela jornalista Isabela Azevedo. Sugestões para o programa podem ser enviadas para culturaearte@ebc.com.br.

Os áudios do Na Trilha da História podem ser disponibilizados para retransmissão, sem fins comerciais, por meio da licença Creative Commons CC BY-NC-ND. Esta licença permite que os programas sejam retransmitidos desde que não sejam editados e mantenham o crédito da Rádio Nacional e da Rádio MEC - Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Em caso de interesse, basta enviar um e-mail para culturaearte@ebc.com.br.  

Criado em 24/04/2018 - 07:52 - Episódio Na Trilha da História - Exploração Econômica no Brasil Colonial

Fale com a Ouvidoria

Mais do programa